Futuro

OneSkin: uma startup que mudará nosso pensamento sobre envelhecimento

por: Luís Felipe e Marcelo Carneiro

Nascer, crescer, se reproduzir, envelhecer. O curso da vida, por mais que seja de conhecimento de todos, ainda é motivo de preocupação para muitos, principalmente neste último estágio. A partir de  um momento em nossas vidas, o envelhecimento passa a ser uma preocupação que muitas vezes é evitada e adiada a todo custo - mas e se pudéssemos dar um novo significado a ela?


A 2Future Holding aceitou o desafio de transformar como enxergamos o envelhecimento e apoia a OneSkin, startup brasileira que vai revolucionar esse processo através da biotecnologia.


Envelhecer não é  só uma questão estética


A expectativa de vida tem se estendido cada vez mais nos últimos tempos graças ao desenvolvimento da tecnologia e, mesmo sendo um aspecto positivo, é preciso pensar na outra face do envelhecimento. Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas acima dos 65 anos atualmente representa 9,52% e em duas décadas vai subir para 17,01%.


Não é à toa que muitos tentam imaginar como é envelhecer, hoje existem até mesmo aplicativos de foto que mimetizam o envelhecimento. Não somente ganhar rugas, envelhecer representa mais que uma mudança estética que todos passam. O Instituto Locomotiva fez uma intensa pesquisa no Brasil para coletar alguns dados sobre o tema e apresentou alguns dados interessantes. Cerca de 25% dos brasileiros apontam as mudanças do corpo como principal medo quando o assunto é envelhecer.


A segunda preocupação é falta de dinheiro (20%), seguida por solidão (18%) e sentir-se inútil (14%). Além disso, a pesquisa também informou que 74% dos entrevistados já presenciaram alguma forma de discriminação contra pessoas de idade avançada. Lendo nas entrelinhas, a pesquisa mostra que os efeitos do envelhecimento vão muito além da aparência.


OneSkin: redefinindo o envelhecimento


Mudar a concepção das pessoas sobre o que é envelhecer parece ser uma tarefa quase impossível, mas é o tipo de desafio que fez a mineira Carolina Oliveira ir até o Vale do Silício com o objetivo de empreender essa ideia.


A partir de uma nova molécula desenvolvida, o time da OneSkin produziu um composto para rejuvenescer a pele. "Como a gente tem a expertise de crescer pele humana em laboratório, a gente consegue mostrar a reversão do envelhecimento", explica Carolina. "Quem sabe no futuro podemos desenvolver uma terapia sistêmica para o envelhecimento como um todo e conseguir olhar para o envelhecimento sem pensar nas dores, mas nos frutos".


Muito além de desacelerar as marcas que o tempo faz na pele humana, a OneSkin busca estender o tempo que as pessoas vivem com saúde e prevenir as doenças associadas ao envelhecimento. "Nosso objetivo é entender o processo do envelhecimento e identificar qual é a raiz do problema, onde podemos atuar de forma que a gente consiga reverter esse processo", explica a CEO.


Uma ideia que cresceu no Vale do Silício


Em 2014, no término de seu doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Carolina se juntou com outras duas colegas que não se contentavam em viver de pesquisas. "A ideia era produzir células humanas a partir de células-tronco com o objetivo de parar de realizar testes em animais, mas ficamos no Brasil e não encontramos o apoio ideal na área de biotecnologia", comenta ela.


Devido à crise financeira que se instaurava no país, este era um ano que se mostrava difícil para quem desejava empreender - principalmente nos segmentos de tecnologia e inovação. O mesmo aconteceu em Portugal. Foi quando elas decidiram levar a ideia além e procurar recursos no Vale do Silício, que abriga startups e grandes empresas de tecnologia de todo o mundo.


Carolina então teve um insight simples, mas crucial para empreender a OneSkin: reconstruir a pele humana em laboratório. "Através das células que a gente tira da pele humana, a gente consegue criar um banco de células e replicar uma pele estruturalmente semelhante", explica ela. Dessa forma, pesquisas e testes podem ser feitos sem depender de biópsias de pele humana.


A partir dessa ideia, a OneSkin assumiu o papel de ser uma empresa com foco em longevidade e passou a estudar como reverter o processo do envelhecimento. Com o apoio da aceleradora Indie Bio e da holding 2Future, a empresa nasceu com uma proposta que vai reverberar em como enxergamos a ciência da pele, estética, cosmetologia e longevidade.


O futuro dos produtos antienvelhecimento


Em um ambiente cercado por pesquisadores e cientistas de diversos cantos do mundo, a equipe da OneSkin se mudou para um laboratório com equipamentos e infraestrutura de alta tecnologia. Ao todo são 40 startups de biotecnologia desenvolvendo ciência de ponta para o desenvolvimento de terapias para câncer, Alzheimer, Parkinson e outras doenças degenerativas.


O produto atualmente  se encontra em fase de testes nos Estados Unidos e a OneSkin está, neste momento, recrutando candidatos para experimentar a tecnologia por eles desenvolvida. "Vamos começar lançando um produto direto para o consumidor. A gente vem com essa proposta de realmente entregar longevidade e qualidade de vida, ou seja, entregar um conceito de que rejuvenescer é ser saudável e não apenas aparência", explica a CEO.


Em paralelo, o time de cientistas da startup valida outras pesquisas de doenças relacionadas ao envelhecimento. Pensando nisso, a OneSkin lançou um desafio. Com o objetivo de fomentar a pesquisa no Brasil e prospectar parcerias, a startup anunciou US$10 mil para pesquisadores ou empresas que apresentassem compostos, produtos ou pesquisas relevantes para o segmento de antienvelhecimento.


Quem venceu foi uma empresa brasileira incubada na Universidade de Campinas (Unicamp). A Rubian Extratos desenvolveu um complexo antioxidante a partir de tecnologia da semente do maracujá, de forma sequencial, capaz de obter extratos bioativos. Isso deve se somar às futuras inovações que a OneSkin deve trazer em seus produtos.


Futuro da OneSkin


Atualmente a equipe da OneSkin possui oito pessoas, sendo cinco em São Francisco, duas no Brasil e uma em Los Angeles -, mas não vai parar por aí. A ideia é expandir a tecnologia desenvolvida pela OneSkin para o Brasil e  o resto do mundo.


Assim como outras startups e empresas dentro da 2Future, a OneSkin é um empreendimento que almeja o futuro e trará grandes mudanças ao mundo. "Eu vejo que a nossa tecnologia pode chegar à casa de milhões de pessoas e espero impactar o mundo com o nosso produto", conta Carolina. "Viver com plenitude: essa é a marca que eu vejo a OneSkin deixando no mundo".

Compartilhe

Luís Felipe e Marcelo Carneiro

2Future is a holding company formed by companies focused on supporting the future generations.